Lei da Palmada

É difícil identificar se os filhos de seus vizinhos estão apanhando pelos pais apenas por ouvirem eles chorar. Esse pré julgamento sobre as questões levantadas na Lei da Palmada, que tira o direito dos pais de utilizar palmadas e beliscões, segundo a lei agredirem ou usar de violência em seus filhos para educá-los, faz com que terceiros (vizinhos, pessoas na rua e até familiares) façam B.O sem conhecimento do que realmente ocorre.

Vamos pensar: Um casal mora ao lado do seu apartamento e tiveram um bebê há mais ou menos 8 meses; logo você ouve o bebê chorando de manhã, de tarde e a noite. Ouve batidas no chão ou nas paredes seguidos de choro. Logo presume-se que, a mãe esteja batendo ou maltratando seu bebê.

Isso aconteceu em SP, na região da Av. Angélica, até que por três vezes o casal fora denunciado pelos vizinhos; o porteiro avisou o casal, informando que o Conselho Tutelar estava na portaria querendo subir para averiguar a denúncia.

O que realmente ocorria: o bebê por estar na fase de engatinhar e andar, caia e batia a cabeçinha, provocando o barulho e logo o choro. Em outro caso a bebê fazia pirraça e batendo a cabeça no chão, ficava com as marcas rochas na testa.

Os vizinhos denunciaram os pais por maus tratos e para evitar a separação com o filho, tiveram de se mudar para outro lugar. Tudo por que as pessoas não averiguam o caso antes de denunciar.

Antes de fazer alguma denúncia, investigue os pais, faça amizade e depois visite-os periodicamente, faça perguntas sem ser indelicado (a) e tenha provas para poder chamar o conselho tutelar.

Isso acontece muito em apartamentos, pois as paredes são as mesmas para dois ou mais unidades; os tetos não são tão bons e os ruídos atravessam o concreto.

Espancar uma criança é inaceitável, mas por falta de conhecimento, você pode separar uma família.

Conte-nos sobre alguma experiência que você tenha passado, referente a este caso.

No Comment

You can post first response comment.

Leave A Comment

Please enter your name. Please enter an valid email address. Please enter a message.